CURSO ENCERRADO EM MAIO DE 2019. (veja a nossa formação de mestrado e das nossas escolas parceiras).  

Faculdade de Letras, em parceria com a Faculdade de Belas-Artes, ambas  da ULisboa, e a Escola Superior de Comunicação Social do IPL, organizaram a Pós-Graduação em Indústrias e Culturas Criativas: Gestão e Estratégias.  Esta iniciativa reflectiu um dos eixos estratégicos do Consórcio Culturas Criativas, onde o curso se integrava, que promovia a aproximação ao mundo empresarial e às políticas do setor criativo.

As Culturas Criativas são um conceito com uma visão inovadora e transdisciplinar que valoriza simultaneamente os aspetos simbólicos e económicos dos produtos culturais e criativos. Esta é uma perspetiva que abrange as áreas da cultura, da comunicação, da criatividade urbana, do urbanismo, do património, do comportamento de consumo, da moda, da economia, da gestão e empreendedorismo, da sociologia às políticas, entre outras relacionadas. O objetivo consiste em compreender a natureza, a origem e as consequências dos comportamentos e das expressões criativas, numa perspetiva de largo espectro. A ideia principal consiste em analisar, de uma forma estratégica e crítica, os padrões e expressões socioculturais, de modo a compreender os valores, os desejos e os comportamentos, através de uma abordagem às várias dinâmicas contemporâneas na cidade. 

 

Profs. Doutores José Cavaleiro (ESCS), Nelson Pinheiro Gomes (FLUL), Maria João Gamito (FBAUL) (entre 2017 e 2019).

Titulação: Pós-Graduação de Especialização Indústrias e Culturas Criativas: Gestão e Estratégias

Duração: 1 ano letivo (2 semestres)

Créditos: 60 ECTS

O curso tem como objetivos específicos garantir aos alunos competências centrais e aplicadas, que lhes permitam:

  1. Aprofundar conhecimentos sobre Indústrias e Culturas Criativas, desenvolvendo componentes aplicadas de Estratégias, Políticas e Empreendedorismo, numa perspetiva interdisciplinar;
  2. Desenvolver a capacidade de análise da realidade das Indústrias e Culturas Criativas, das suas transformações e tendências ao nível do terreno digital e físico;
  3. Desenvolver projetos e produtos/serviços no sector das Indústrias e Culturas Criativas, criando competências da estratégia e do empreendedorismo;
  4. Estimular o desenvolvimento de uma visão integrada e completa do sector das Indústrias Culturais e Criativas, incluindo oportunidades e ameaças, assim como a compreensão de outros fatores de competitividade.

O curso conta com o apoio de instituições ligadas às áreas da cultura e da criatividade em Lisboa.

 Não irão abrir novas vagas para candidaturas.

Este curso em regime de parceria encerrou em Maio de 2019.

O estudo das Culturas Criativas permite a criação de modelos que identificam os prescritores, o ciclo de vida e os grupos – ou indivíduos – ligados a determinados comportamentos e expressões. Uma vez que é uma área emergente, este curso pioneiro fornecerá ferramentas de análise que ajudem a clarificar os problemas e grandes temas envolvidos no estudo das culturas criativas, como um espaço disciplinar lato que articula a Técnica, as Artes e Humanidades e as Ciências Sociais e Empresariais.

Neste sentido, pretende-se proporcionar uma oferta especializada, bem como potenciar um projeto de investigação intra-escolas, criando a possibilidade de múltiplas relações interdisciplinares dentro da Universidade de Lisboa e do Instituto Politécnico de Lisboa e destes com a cidade de Lisboa. Importa também apoiar a qualificação dos que desejam aprofundar os seus conhecimentos e competências no âmbito do setor criativo; bem como preparar os alunos para o aprofundamento da investigação académica, combinada com uma vertente prática e aplicada, na área das indústrias criativas e culturais.

Plano de Estudos

1 Ano Letivo (2 Semestres)

O plano de estudos foi construído de modo a permitir o desenvolvimento de competências transdisciplinares, com base nas especialidades de cada escola e com uma orientação para a prática projetual.

Créditos: 15 ECTS

Escola Responsável: FLUL; FBAUL, ESCS

Conteúdos Programáticos:

1. Os estudantes começam por ser integrados no projeto de investigação conjunto das escolas, observando, recolhendo informação e analisando dinâmicas socioculturais e criativas em espaços da cidade de Lisboa. Este exercício é importante para contextualizar os estudantes no tecido urbano, identificado possibilidades e soluções para desafios de várias índoles ao nível das indústrias culturais e criativas.

2. A par deste trabalho, os alunos desenvolvem um tema específico associado às Indústrias e Culturas Criativas (Criatividade Urbana e Patrimónios Culturais; Moda e Estilos Urbanos; Empreendedorismo em Indústrias Criativas), introduzindo-se na prática de investigação e no desenvolvimento de um projeto aplicado de pequena escala na área que escolheram, promovendo a articulação com as ferramentas e os conceitos que aprenderam nas restantes unidades curriculares, de acordo com a natureza da cada projeto. Este trabalho final de curso, desenvolvido de forma autónoma e com um espírito empreendedor, funciona como uma bússola da investigação e do trabalho dos estudantes, tendo potencial para culminar em propostas de elevado valor com um cunho de exigência e de aprofundamento que é necessário promover em estudos pós-graduados. O projeto ajuda também a esclarecer e a identificar com maior precisão a área que o estudante pretende abordar. A partilha de experiências dos alunos com especialistas e outros profissionais convidados é um momento de debate e de inspiração para a exploração de ideias.

Créditos: 06 ECTS

Escola Responsável: Faculdade de Letras, ULisboa

Partindo das teorias e metodologias abordadas em “Cultura, Sociedade e Hábitos de Consumo”, esta UC pretende introduzir e familiarizar os estudantes com práticas ligadas ao desenvolvimento de projetos/instituições de análise das culturas criativas e gestão da cultura. Neste sentido, o principal tópico a desenvolver prende-se com a Gestão da Cultura, na perspetiva de análise do contexto cultural e de consumo aplicado ao desenvolvimento estratégico. Os estudantes desenvolvem projetos estratégicos sobre gestão de marcas e cultura de consumo no sector cultural/criativo. Esta é uma UC com um carácter laboratorial de simulação de um ambiente empresarial/institucional. 

Créditos: 06 ECTS

Escola Responsável: Escola Superior de Comunicação Social, IPL

O foco desta UC será a inovação, a criatividade na gestão e os modelos de negócio, nomeadamente: a identificação de ideias de negócio e oportunidades; transformar ideias em capital intelectual e económico; o processo criativo, inovação incremental e radical, transformação e digitalização de empresas; a natureza do processo criativo, barreiras à criatividade. Outro tema central será o empreendedorismo, especialmente: as características de um empreendedor; as ferramentas e apoios nacionais, europeus e internacionais; as necessidades do consumidor; financiamento e angariação de recursos; o planeamento estratégico e o modelo de negócio, entre outros.

Créditos: 06 ECTS

Escola Responsável: Faculdade de Belas-Artes, ULisboa

Pretende-se analisar a evolução histórica das cidades, do seu uso e da criatividade em contexto urbano.

Créditos: 03 ECTS

Escola Responsável: Escola Superior de Comunicação Social, IPL

Nesta unidade curricular, serão abordados os fundamentos de marketing, nomeadamente: a Identificação e captação da audiência; Marketing estratégico; Marketing digital; Marketing relacional; Marketing internacional; o comportamento do consumidor e o Marketing específico aplicado aos produtos criativos e culturais. No que diz respeito à Comunicação: conceitos fundamentais de comunicação, comunicação global interna e externa, as redes sociais, os media e as relações públicas, e o content branding (marca através de conteúdos).

Créditos: 06 ECTS

Escola Responsável: Escola Superior de Comunicação Social, IPL

A cultura digital: revolução digital; mudanças socioeconómicas; redes sociais e Web 2.0; a revolução tecnológica; a compreensão básica da tecnologia e a Economia da Internet. Economia criativa: história e definições da economia criativa e das indústrias criativas; o papel da tecnologia; o conceito de economia criativa e a sociedade do conhecimento. Análise e mapeamento das políticas públicas do setor, incluindo a base legal e criativa das indústrias criativas. O sistema regulatório nacional e internacional. Política cultural e investigação, nomeadamente a importância das Indústrias Criativas no panorama cultural; o contexto nacional e internacional do setor; a política europeia; os programas da Comissão Europeia e o valor social das Indústrias Criativas. Desenvolvimento Regional e Local. O mercado global e local. Regiões Criativas e Cidades Inteligentes: conceptualização, contexto nacional e exemplos internacionais e transnacionais.

Créditos: 03 ECTS

Escola Responsável: Faculdade de Letras, ULisboa

Estudar-se-á a emergência de padrões ao nível do estilo e do gosto, bem como o sistema social invisível que regula estas relações entre indivíduos e grupos/tribos sociais. Estes temas relacionam-se com outros tópicos, como marketing tribal e identidades grupais, que serão explorados ao longo da unidade curricular.

Créditos: 06 ECTS

Escola Responsável: Faculdade de Belas-Artes, ULisboa

Serão abordadas questões relativas a espaço público e criação, performances, escultura, muralismo.

Créditos: 03 ECTS

Escola Responsável: Faculdade de Belas-Artes, ULisboa

Serão estudados aspetos como o valor da marca em espaço público, a cidade como marca, produção no espaço e a identidade do lugar no produto.

Créditos: 06 ECTS

Escola Responsável: Faculdade de Letras, ULisboa

Pretende-se analisar os hábitos de consumo e as manifestações criativas como elementos caracterizadores de identidades. Será introduzida a temática dos Estudos de Tendências  de modo a aplicar os seus conceitos e modelos no âmbito de uma Gestão da Cultura. Explora-se a cultura de consumo (comunicação criativa e estratégica, padrões de consumo, mentalidades e estruturas culturais), de modo a gerar pistas estratégicas para as marcas/projetos que precisam de segmentar o público e compreender padrões culturais emergentes.

Perfil Profissionalizante

A economia criativa é um campo emergente! Este curso forma Chief Culture Officers (CCO) e Agentes Criativos capazes de se articularem com diferentes instituições e práticas.  Este perfil permite o desenvolvimento de atividades profissionais ao nível de, ou como:

– Departamentos de Cultura (Estratégia e Inovação);

Agente Cultural e Criativo

– CCO- Chief Culture Officer

– Analista de Tendências

– Analista e Gestor Cultural

– Gestor de Inovação em Projetos Criativos

O curso encontra-se muito orientado para a aplicação prática e para a problematização atual da realidade cultural criativa e do consumo em espaço urbano. Os alunos são incentivados a trabalhar em equipa para desenvolverem ideias inovadoras através de um espírito empreendedor.